Blog dos docentes, investigadores e alunos de Ciência das Religiões na Universidade Lusófona (Lisboa)
.posts recentes

. RAMADAN - PRIMEIRA PARTE

. FALTAM APENAS DUAS SEMANA...

. JEJUM, UM ALIMENTO PARA A...

. “LA ILAHA – ILLA LLAH” – ...

. MI'RAJ — A Ascensão do Pr...

. RELEMBRANDO: A NOITE DE M...

. OS INÚMEROS BENEFÍCIOS PE...

. OS INÚMEROS BENEFÍCIOS PE...

. OS PRIVILÉGIOS E AS RESPO...

. SURAT FUSSILAT

.arquivos

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

Sexta-feira, 30 de Setembro de 2011
O HAJ (PEREGRINAÇÂO A MAKA)

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus)


Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus o Beneficente e Misericordioso)


JUMA MUBARAK

 

“E COMPLETAI O HAJ E O UMRA EXCLUSIVAMENTE PARA DEUS” Cap. 2 Vers.196
Aproxima-se mais um mês de Haj. O Haj (Peregrinação a Maka) é um dos cinco pilares da Islão, uma forma de adoração espiritual e material. A tradição relata que o Profeta Abraão (Que a Paz de Deus esteja com ele) quando terminou a construção da Caaba (Casa Sagrada), Allah

Subhana Wataala lhe ordenou que proclamasse a peregrinação às pessoas, que viriam de todo o lado longínquo, a pé e montado em todas as espécies de camelos. O Profeta Abraão disse: “Ó meu Senhor, como é que a minha voz chegará a eles?” Deus lhe respondeu: “O teu dever é proclamar e o Meu é fazer chegar a tua voz a eles.....” E os crentes que se dirigem à peregrinação, respondem com Labbaik, Allahumma Labbaik – Eis me aqui meu Senhor!.


Apesar de ser associado ao tempo de Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam), a peregrinação a Maka é tão antiga, que remonta ao tempo da edificação da Caaba. Conforme é referido no Cur’ane, foi a primeira Casa edificada para adoração a Deus. “Na verdade a primeira Casa (para adoração a Deus) erigida para o género humano, foi a de Bacca (Maka)”. Cur’ane 3:96. Este versículo autentica o hadice que refere que a Caaba foi edificada por Adam (Aleihi Salam), o primeiro homem à face da terra. Mais tarde, reconstruído pelo Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) e pelo seu filho Ismael (Aleihi Salam). No tempo da jahiliyyah – antes do advento do Islão, os árabes pagãos também se dirigiam à Caaba em peregrinação. O Haj foi instituído na época de Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) como o quinto pilar do Isslam.


É uma concentração de muçulmanos de todos as raças, vindos de todos os continentes, de todas as classes sociais, de todas as cores, unidos numa única causa comum, que é o da adoração do Deus Único. É uma confirmação de que o Isslam é uma religião universal. Não existe o rico nem o pobre, nem o empregador nem o empregado, nem o governante nem o cidadão comum, pois são todos iguais perante Deus. Os Hajis, durante a peregrinação, vestem-se todos de igual, utilizando o Ehram (pano branco sem costuras), recordando os tempos em que nasceram, quando lhes embrulharam num pedaço de pano e sabem que após a suas mortes irão também ser cobertos por um pano branco (cafan-mortalha), deixando para trás todos os haveres, adornos e restantes vestuários. Em Miná, Muzdalifa e Arafah, estarão juntos, milhões de irmãos e de irmãs, da mesma fé, lembrando o dia do julgamento final, em que Deus reunirá toda a humanidade, para a prestação de contas.


Quem já cumpriu com a obrigação da peregrinação, acaba por se “apaixonar” pelo lugar e pensa voltar mais uma ou várias vezes, pois é um local que nos traz a paz e a tranquilidade e nos libertamos de todas as preocupações mundanas. Nunca encontrei tanta paz de espírito como a que encontrei em Maka e em especial na cidade de Madinah, dentro da Mesquita do nosso Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). É estar no mundo, mas fora dele. Em todos os locais onde vamos cumprir com os rituais do Haj, tornamo-nos mais humildes, pois estamos mais perto do Criador, onde as nossas preces são aceites. Segundo o relato de An-Nassai, Ibn Maja e outros, o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: O Hají é um hóspede de Deus, se pedir algo, as suas preces são aceites. Se pedir perdão, é
perdoado.”


Tentemos imaginar como era a viagem dos nossos antepassados. Era difícil a viagem, por exemplo de África ou da Ásia para a Arábia Saudita. De barco, depois a pé ou montados em animais, percorrendo milhares de kms até chegarem aos seus destinos. A jornada demorava meses e muitas vezes, anos. Pelo caminho, iam ficando aqueles que Deus os levava (De Deus viemos e para Ele regressamos). Diversos relatos nos contam de que milhares de peregrinos morreram durante os referidos trajectos. Os que chegavam ao seu destino, reuniam-se e começavam com os rituais de Haj, com todas as dificuldades inerentes à época. Depois de cumprido o dever, era o regresso à casa, percorrendo novamente milhares de Kms. Eram os verdadeiros Hajis, pois nem as dificuldades os demoveram de cumprir com a obrigação.


Nos nossos tempos actuais, entre 5 a 10 horas de viagem, deliciando-se com o conforto dos aviões e do catering, o Haji viaja como se dirigisse para férias!. Chega e encontra a melhor hospedagem, de acordo com as suas posses financeiras. Durante o ritual do Haj, tem todas as mordomias, pois nada lhe falta. Aproveita para fazer compras. Alguns em vez de fazerem o máximo de Tawafs (circundar a Casa de Deus), fazem “Tawafs” às lojas....


O peregrino pode optar por uma das 3 formas de Haj: 1)- HAJ-IFRÁD, usando o Ehram só para fazer o Haj (não faz Umra); 2)- HAJ-QUIRÁN, usando o mesmo Ehram para fazer o Umra e o Haj; e 3)- HAJ-AT-TAMATU, usando um Ehram para fazer Umra e depois outro Ehram para fazer o Haj (O tecido pode ser o mesmo depois de lavado). O crente que faz o Haj-Ifrad é o Mufrid, o que faz o Haj-Quirán, chama-se Cárin e o que faz o Haj-At-Tamatu é o Mutamatti. O tipo de Haj mais utilizado (mais prático) é o At-Tamatu, porque permite fazer o Umra e o Haj, sem estar em permanente estado de Ehram. No Haj Quirán, o crente fica em estado permanente de Ehram, desde o início do Umra, até terminar o Haj, situação que pode durar semanas seguidas.


O cumprimento do Haj é obrigatório apenas uma vez na vida para o muçulmano adulto, física e financeiramente apto. É facultativo fazê-lo mais do que uma vez. “…A peregrinação à Casa, é um dever para com Deus, por parte de todos os seres humanos…”. Cur’ane 3:97. Para a peregrinação, não é permitido pedir dinheiro emprestado ou utilizar dinheiros provenientes de actividades ilícitas. Uma verba suficiente, deve ser deixada aos dependentes, para suprir as necessidades da família. O Haj é uma obrigatoriedade referida no sagrado Alcorão e nas palavras do Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). Quem não crê neste 5º. pilar, torna-se um descrente e quem protelar por muito tempo, tendo condições para tal, acaba por ser um pecador, segundo a opinião de muitos alimos. Num hadice, relatado por Ahmad e Al-Baihaqui, o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Apressai-vos no cumprimento do Haj, pois nenhum de vós sabe o que lhe pode acontecer”, isto é, doenças, problemas financeiros, etc.. No caso de não se ter cumprido com o Haj enquanto havia saúde ou enquanto vivo, é possível os familiares atenuarem o incumprimento e efectuarem o Haj em nome deles (Haj Badal). Uma senhora disse e perguntou ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam): “Deus prescreveu a obrigatoriedade do Haj, mas o meu pai está velho e fraco. Posso efectuar o Haj em seu nome?” O Profeta respondeu: “Sim, você pode”. Bukhari –Livro da Peregrinação 589. E Deus é Perdoador e Misericordioso para com a Sua criatura. Outra passagem refere que uma mulher perguntou ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam): “A minha mãe fez um juramento de fazer o Haj, mas morreu sem o fazer. Posso fazê-lo por ela?” O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) respondeu: “Faça-o por ela. Se pesasse alguma dívida sobre a sua mãe, você teria ou não pago? Da mesma forma pague a dívida dela para com Deus, pois Deus é mais merecedor para que a dívida com Ele seja paga”. Bukhari.

 

Abu Huraira (Radyialahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “No cumprimento de um Umra para o outro, verifica-se a expiação dos pecados cometidos entre um e outro. E o Haj Al-Mabrur não tem outra recompensa senão o Jannat (Paraíso).” Relato de Al Bukhari e Musslim. (O Haj Mabrur é o Haj inteiramente cumprido, sem qualquer transgressão às regras instituídas e sem qualquer pecado). Fazem parte dos rituais da peregrinação, a recordação de algumas atribulações sofridas pelo Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) e sua esposa Hajra, nomeadamente: Tawaf (circundar a Casa de Deus); Percorrer os montes Safa e Marwa (lembrando as dificuldades de Hajra e o seu filho Ismael e o milagre da água de Zam Zam); E a rejeição da tentação do diabo, quando ele levou o seu filho Esmael (Aleihi Salam) para o sacrificar (Curbani), cumprindo com as ordens de Deus, apareceu o cheitane (diabo), assumindo a forma de um enorme obstáculo, impedindo-o de cumprir com as ordens divinas. “E saibam que as vossas riquezas e os vossos filhos são um teste”. Cur’ane 64:115. Então o Profeta Abraão (Que a Paz de Deus esteja com ele), atirou 7 pedrinhas e o diabo afundou-se na terra. Os hajis também vão atirar as pedrinhas, não só simbolizando aquele acto, mas também para fazerem uma firme intenção, de se afastarem das tentações do diabo.


Façam o favor de ter um bom dia de Juma


Cumprimentos,


Abdul Rehman Mangá
29/09/

publicado por Re-ligare às 18:33
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Setembro de 2011
IBRAHIM, OS SEUS DESCENDENTES (AS) E A ORIGEM DA CAABA

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus)


Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus, o Beneficente e Misericordioso)


JUMA MUBARAK

 

TERCEIRA E ÚLTIMA PARTE – Os Descendentes de Ibrahim (A.S.)
Algumas das virtudes do Profeta Ibrahim (Aleihi Salam), eram a generosidade e a hospitalidade. Sempre que recebia visitas, mesmo de desconhecidos, preparava refeições para os hospedes. Certa vez, quando se encontrava fora da sua área de residência, deparou-se com 3 estranhos. Satisfeito por encontrá-los, levou-os à sua casa, para lhes servir uma refeição. Degolou um vitelo, assou-o e ofereceu aos hóspedes. Mas os hóspedes não se serviram da refeição. Notando a decepção e aborrecimento de Ibrahimo, os 3 homens resolveram contar-lhe de que são anjos (os anjos não comem nem bebem e não têm as restantes necessidades dos humanos) e que se dirigem à cidade de Sodoma, para destruir o povo de Lut (Aleihi Salam), devido à imoralidade que vinham praticando. A história de Lut (Aleihi Salam) e da cidade de Sodoma, in sha Allah será referida numa outra ocasião. Esta referência foi para demonstrar a hospitalidade de Ibrahim (Aleihi Salam), que ele teve o cuidado de transmitir à sua descendência. No Bukhari, hadice 55.583, é referido por Ibn Abbas (Radiyalahu an-hu),que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) contou uma longa passagem onde refere a vida de Ibrahim e dos seus descendentes (Aleihi Salam), nomeadamente a seguinte parte: “Uma vez, Ibrahim (Aleihi Salam) foi visitar o seu filho Ismael (Aleihi Salam) e a sua família. Não o encontrou em casa. A esposa (não o convidou nem o serviu, por se tratar de um viajante) informou-o de que ele se ausentara, à procura do sustento. Perguntou-lhe as condições da vida deles. Ela respondeu, queixando-se de que viviam na miséria e nas piores condições. Ibrahim (Aleihi Salam) disse: “Quando o seu marido regressar, transmita-lhe a minha saudação e também para substituir a soleira da porta”. Quando Ismael chegou à casa, notou de que algo se passara. Perguntou à esposa e esta informou-o de que um velho desconhecido veio à procura dele e que deixou cumprimentos e o recado para substituir a
soleira da porta. Ismael esclareceu-a de que o velho era o seu pai e que o recado era para ele se divorciar dela. E assim aconteceu e depois casou com outra mulher. Mais tarde, Ibrahim veio outra vez visitar o filho e só encontrou a nova esposa (que o recebeu e o serviu na qualidade de viajante). Ibrahim perguntou-lhe sobre as condições da vida deles, o que ela respondeu de que eram boas e que comiam carne e bebiam água. Ibrahim pediu a Deus para abençoar a carne e a agua que eles consumiam. É referido também que naquela altura não tinham grãos, pois se os houvesse, Ibrahim haveria de invocar a Deus para abençoa-los. Deixou cumprimentos para o filho e um recado para a mulher transmitir ao seu filho: “para ele manter firme, a soleira da porta”. Quando Ismael regressou, foi informado da visita e do conselho. Ismael esclareceu à esposa, de que o visitante era o seu pai e que o recado era para manter firme o casamento.


“Fostes testemunhas quando a morte apareceu a Jacob? Ele disse a seus filhos: “Que adorareis depois de mim?” Disseram: “Adoraremos o teu Deus e o Deus dos teus pais, Abraão, Ismael e Isaac – O Deus Único, a quem nos submetemos.” Cur’ane 2:133. A mensagem que todos os Profetas de Deus vieram trazer ao mundo, foi sempre a mesma, a de todos nos submetermos ao Deus Único. Foi esta mensagem que o Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) transmitiu ao seus filhos e estes aos seus descendentes. “E quem é que rejeita a religião de Abraão a não ser o insensato? Escolhemo-lo (a Abraão) neste mundo; e na Vida Futura, estará entre os justos”. Cur’ane 2:130.


“Sibghata llahi - “(Eis aqui) a religião de Deus, e quem pode designar (a religião) melhor que Deus? E é Ele a quem nós adoramos”. Cur’ane 2:138. A palavra árabe sibghata, significa coloração e também religião. Como a coloração distingue os objectos, a religião também distingue as pessoas. Antes do Cristianismo, os Judeus adicionavam uma coloração à água e davam banho aos que aceitavam o Judaísmo. Para eles, significava que todos os pecados foram lavados e que passaram a ter uma nova vida. Este costume foi adoptado pelos Cristãos, passando a ter o nome de baptismo, imersão em agua ou aplicação de agua, para os recém-nascidos, a fim de os livrar do “pecado original”. Também os novos convertidos são baptizados. Com o advento do Islamismo, esta prática foi abandonada, porque se considera que todas as crianças nascem puras, livres de quaisquer pecados (pecado original atribuído ao nosso pai Adão e à nossa mãe Eva). Após o nascimento, nos ouvidos das crianças, são ditas as palavras do chamamento para a oração - azan (no ouvido direito) e do Iquamat (no ouvido esquerdo). São palavras que testemunham a fé no Deus Único, no Seu Mensageiro e convidativas para a oração. As crianças (meninos) são circundadas, dando assim continuidade da tradição de Ibrahim (Aleihi Salam) e de todos os restantes Profetas de Deus (Que a Paz de Deus esteja com eles).


O versículo 2:133 é uma advertência que Deus faz aos descendentes da linhagem de Isaac (Que a Paz de Deus esteja com ele), que foram acusados por Deus de transgredirem as Suas ordens. E também uma referência aos pagãos árabes, descendentes de Ismail (Que a Paz de
Deus esteja com ele). Quando a morte se aproximou a Jacob, filho de Isaac (Aleihi Salam), ele aconselhou os seus filhos para adorarem o Deus Único, o Deus de Ibrahim (Aleihi Salam). E recorda-te quando Abraão disse: “Ó Senhor meu, pacifica esta cidade e preserva a mim e aos meus filhos da adoração dos ídolos.” Cur’ane 14:35


“Jamais enviamos mensageiro algum antes de ti, sem que lhe tivéssemos revelado que: Não há outra divindade além de Mim. Adora-me e serve-Me”. Cur’ane 21:25


“Dizei: “Cremos em Allah, no que nos tem sido revelado, no que foi revelado a Abraão, a Ismael, a Isaac, a Jacob e às tribos, e no que foi dado a Moisés e a Jesus e no dia que foi dado aos Profetas pelo seu Senhor. Não fazemos diferenças entre nenhum deles e somos submissos a Ele (Deus). Cur’ane 2:136. Cremos em todos os Mensageiros e Profetas que foram enviados. Não fazemos nenhuma distinção entre eles. Todos trouxeram a mesma mensagem, só que os respectivos povos não a entenderam e ou a desvirtuaram. Mas Deus, sempre com a sua infinita misericórdia para a sua criação, foi enviando Profetas para nos recolocar no caminho certo. “O Mensageiro crê no que lhe foi revelado pelo Seu
Senhor, assim como os crentes; Todos crêem em Deus, nos Seus Anjos, nos Seus Livros e nos Seus Mensageiros. (E dizem) “Não fazemos distinção alguma entre os Seus Mensageiros…” Cur’ane 2.285. Os filhos de Israel não acreditam em Issa (Jesus) e em Yaiha (João Batista), que a Paz de Deus esteja com eles. Mas os muçulmanos acreditam neles e em todos os anteriores Profetas. Consideram Issa (Aleihi Salam) como um dos 5 maiores Mensageiros da humanidade e que antes do final do mundo, descerá à terra. Os Cristãos e os Filhos de Israel, não acreditam no último mensageiro de Deus, Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam), Profeta da misericórdia, que foi enviado para toda a humanidade.


Abraão tinha cerca de 90 anos quando Ismael nasceu e mais de 90 anos quando Isaac nasceu e por este motivo louvou e agradeceu a Deus: “Louvado seja Deus que na velhice me agraciou com Ismael e Isaac! Como o meu Senhor é Exorável!”. Cur’ane 14:39.


“Esse era o povo que já passou. Colherá o fruto que mereceu e vós colhereis o que merecerdes! Sobre os seus méritos, não sereis questionados.” Cur’ane 2:141. As boas obras que os antepassados realizaram em nada nos beneficiam individualmente. Eles receberão as recompensas do que fizeram e nós colheremos os méritos das nossas próprias acções.


Com esta mensagem termino o tema referente a Ibrahim, os seus descendentes e a origem da Caaba. "Wa ma alaina il lal balá gul mubin" "E não nos cabe mais do que transmitir claramente a mensagem". Surat Yácin 36:17.


Um bom dia de Juma
Cumprimentos
Abdul Rehman Mangá
22/09/2011

publicado por Re-ligare às 12:52
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 16 de Setembro de 2011
IBRAHIM, OS SEUS DESCENDENTES (AS) E A ORIGEM DA CAABA - SEGUNDA PARTE

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus)


Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus, o Beneficente e Misericordioso)


JUMA MUBARAK

 

“E lembrai quando Abraão e Ismael estavam a erguer as fundações da Casa (com esta oração): “Senhor Nosso! Aceita (este serviço) de nós, pois Tu és o Exorável, o Sapientíssimo.” Cur’ane 2:127. Allah indicou a Ibrahim (Aleihi Salam), o local onde devia reedificar a Caaba, no mesmo local onde Adam (Aleihi Salam) – Adão, que a Paz de Deus esteja com ele, lançara as primeiras fundações da Casa, que ficaram destruídas após o dilúvio, na época do Profeta Nuh (Aleihi Salam) – Noé, que a Paz de Deus esteja com ele. Muitas passagens testemunham de que a Casa de Deus foi edificada antes da época do Profeta Ibrahim (Aleihi Salam), nomeadamente, conforme os dois versículos do Cur’ane a seguir mencionados: “Na verdade a primeira Casa (para adoração a Deus) erigida para o género humano, foi a de Bacca (Maka); um lugar de bênçãos e de orientação para a humanidade.” Cur’ane 3:96. “E recorda-te quando indicámos a Ibrahim, o local da Casa Sagrada”. Cur’ane 22:26. No Bukhari, 55:583, é referido por Ibn Abbas (Radiyalahu an-hu), de que Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) contou uma longa passagem onde refere diversas passagens da vida de Ibrahim (Aleihi Salam) e da sua família, terminando com a seguinte informação: “Ibrahim (Aleihi Salam), com a ajuda do seu filho Ismael (Aleihi Salam), construíram a Caaba numa colina elevada, onde Deus o ordenou. Ismael trouxe as pedras e Ibrahim foi efectuando a construção. Quando as paredes começaram a ficar mais altas, Ismael trouxe uma pedra onde o pai colocava o pé para se elevar, para assim facilitar a construção. Enquanto os dois realizavam o trabalho, iam dizendo: “Senhor Nosso, aceita (este serviço) de nós. Tu ês o Exorável, o Sapientíssimo”. Cur’ane 2:127. Após a conclusão dos trabalhos, deram a volta à Caaba (Tawaf) repetindo as mesmas palavras”. A pedra onde
Ibrahim (Aleihi Salam) utilizou para se elevar, ficou com a marca do pé dele e encontra-se mesmo ao lado da Caaba, num lugar denominado de “Maqam (local) de Ibrahim”, onde os crentes fazem uma oração, após a conclusão do Tawáf (acto de circundar a Caaba). Ibn Abbas (Radiyalahu an-hu) referiu que a marca dos dedos dos pés eram bem visíveis e também os árabes sabiam desse facto durante a época da jahiliyyah - pré islâmica. Anas Bin Malik (Radiyalahu an-hu) referiu que viu a marca e era bem visível, mas que acabou por dissipar-se, porque as pessoas esfregavam as mãos na pedra. (Tafsir de Ibn Khatir) “.…E tomai a estância de Abraão como um local de oração…” 2:125. “…onde existem sinais evidentes (por exemplo) a estância de Abraão…” Cur’ane 3:97.


“Senhor Nosso! Faz de nós submissos a Ti, e que surja da nossa descendência, um povo submisso à Tua vontade…” Cur’ane 2:128. “Senhor Nosso! Faz surgir no seu meio, um Mensageiro saído entre eles, que lhes recite os Teus Versículos e lhes ensine a Escritura e a Sabedoria, e os purifique; Tu és o Poderoso, o Sábio.” Cur’ane 2:129. Os Profetas Yussuf (José), Mussa (Moisés) Dawud (David) e Suleman (Salomão), que a Paz de Deus esteja com eles, descendentes de Isaac e do seu filho Yacub – Jacob, que a Paz de Deus esteja com eles, assumiram a liderança (chefia
dos povos). Em Jerusalém, no tempo do Profeta Suleman (Aleihi Salam), foi construído um Templo Sagrado, que passou a ser o centro e a quibla (direcção) de todas as adorações a Deus. Esta quibla se manteve enquanto os descendentes de Isaac (Aleihi Salam) permaneciam como líderes desta missão e cumpridores dos mandamentos de Deus. A quibla também serviu de orientação nos primeiros anos da profecia de Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). Quando Ibrahim (Aleihi Salam) pediu a Deus para também fazer de líderes a sua descendência, Deus aceitou, mas advertiu de que na sua descendência e entre os seus filhos, haverá pessoas injustas. Mais tarde, os outros descendentes que tomaram a responsabilidade da chefia, foram acusados por Deus de pecados e de falhas na liderança, mostrando-se indignos de continuarem com a missão. O Antigo Testamento, Izequiel, capítulo 15, refere que Jerusalém tornou-se corrupta com infidelidades e lascividades. Também os descendentes de Ismael tiveram um comportamento inaceitável, colocando 300 ídolos na Casa Sagrada. A liderança, não deveria ser um privilégio, só por serem descendentes de Abraão. Mas deviam também submeterem-se e seguirem as orientações de Deus. Assim, Abraão, que a Paz de Deus esteja com ele, pediu a Deus para enviar um Mensageiro que ensine a Escritura, a Sabedoria (a compreensão da religião) e os Purifique. Também Issa (Aleihi Salam) – Jesus, que a Paz de Deus esteja com ele, anunciou a vinda de um Mensageiro, quando se dirigiu aos Filhos de Israel, dizendo: “E quando Jesus, filho de Maria, disse: Ó Israelitas, na verdade sou o Mensageiro de Deus, enviado a vós, corroborante de tudo quanto a Tora antecipou no tocante às predições e alvissareiro de um Mensageiro que virá depois de mim, cujo nome será Ahmad…” Cur’ane 61:6 (Ahmad – o louvado, o consolador, o intercessor). Também encontramos uma referência no Deuteronómio, no capítulo 18:18, o seguinte: “Do meio dos teus irmãos, lhes suscitarei um Profeta semelhante a ti (semelhante a Moisés) e porei as minhas palavras na sua boca e lhes falará tudo o que Eu lhe ordenar. Sobre este assunto (a sua vinda como profeta), Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) referiu: “A súplica do meu pai Ibrahim e as boas novas anunciadas por Issa, filho de Maria”. – Um Profeta semelhante a ti (Moisés), só poderá ser Muhammad e não Issa (Jesus), pelos seguinte motivos. Moisés e Muhammad (Que a Paz de Deus esteja com eles), foram chefes de nações, tinham nas suas mãos a vida e a morte dos seus súbitos;, tiveram nascimentos e mortes naturais (Jesus teve um nascimento milagroso e uma morte violenta na cruz); ambos estão enterrados na terra e Jesus está no reino do céu; ambos casaram e tiveram filhos; Moisés e Muhammad trouxeram leis novas para os seus povos.


O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), descendente de Ismael (Aleihi Salam), assumiu assim a liderança e proclamou ao mundo, utilizando a mesma advertência dos seus antecessores, proclamando “Lá Iláha Ilalláh” - “Não há outra divindade, excepto Deus”. Alguns Coraichs de Maka, enraizados na adoração aos ídolos que entretanto tinham sido colocadas na Caaba, dificultaram a missão do Profeta, que entretanto teve de se retirar para Madina, onde foi recebido e acarinhado pelos residentes. Pelos motivos anteriormente referidos, Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) estava ansioso para mudar a quibla (direcção da oração), de Jerusalém para Maka. O Templo de Jerusalém, foi construído pelo Profeta Salomão (Que a Paz de Deus esteja com ele), muito depois da Caaba. Assim, a Caaba tinha prioridade e superioridade como local de oração e de orientação. “Na verdade, vimos-te voltares com frequência o teu rosto para o céu (para orientação). Agora, certamente, te faremos virar para um qibla, com que estarás satisfeito. Portanto, vira o teu rosto para a Mesquita Sagrada e onde quer que estejas, voltai os vossos rostos para esta direcção”. Cur’ane 2:144. Yahya ouviu de Malik e este de Abdullah Ibn Dinar, de que Abdullah Ibn Umar (Radiyalahu an-hu) disse: “Uma ocasião, quando as pessoas estavam orando na Mesquita de Quba, um homem aproximou-se deles e disse: “Um versículo do Cur’ane foi ontem à noite
enviado ao Profeta e ele foi obrigado a virar-se para a Caaba, então façam isso. Assim, porque estavam virados para Jerusalém, viraram-se em direcção à Caaba”. Maliks’s Muwatta 14:3.6. Com o regresso triunfal a Maka, sem derramamento de sangue, Muhammad, com o seu cajado, destruiu os 300 ídolos e purificou a Caaba. Foi o último Profeta, enviado para toda a humanidade.


Um bom Dia de Juma,


Cumprimentos


Abdul Rehman Mangá

15/09/2011

publicado por Re-ligare às 10:06
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 10 de Setembro de 2011
IBRAHIM, OS SEUS DESCENDENTES (AS) E A ORIGEM DA CAABA (primeira parte)

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus) Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus, o Beneficente e Misericordioso)


JUMA MUBARAK

 

O mês de Ramadan já passou. Brevemente estaremos no mês de Dhul Hijja. A partir deste Juma e até terminar os dias de Haj, In Sha Allah, passarei a enviar mensagens relacionados com este importante pilar do Islão. A primeira mensagem é referente ao Profeta Ibrahim (Aleihi Salam), Abraão (que a Paz de Deus esteja com ele), os seus descendentes e a edificação da Caaba. Por ser extensa, a referida mensagem será dividida em três partes. O trabalho centrou-se nos últimos versículos, bastantes elucidativos, do primeiro juz do Cur’ane (Alif Lam Mim). Ibrahim (Aleihi Salam), não foi Judeu nem Cristão. Obediente a Deus, foi um verdadeiro hanif (adorou e transmitiu a mensagem do Deus Único). Através dos seus
filhos Ismael e Isaac (Aleihi Salam), formaram-se três ramificações importantes no contexto religioso do mundo; Judeus, Cristãos e Muçulmanos. Ibrahim (Aleihi Salam) é o tronco comum destas 3 religiões.


“E lembrai-vos quando Abraão foi posto à prova pelo Seu Senhor com certos mandamentos, que ele cumpriu e então Allah disse-lhe: Designar-te-ei Imame (chefe) dos povos.” E Abraão apelou: “E (concedei essa graça) também aos meus descendentes.” O Senhor respondeu: “A minha promessa não alcançará os iníquos”. Cur’ane 2:124. Deus testou-o com taharat – pureza. Cinco referentes ao corpo e cinco à cabeça, nomeadamente, cortar o bigode, enxaguar a boca, utilização do Missak, aparar as unhas, raspar os pêlos púbicos, a circuncisão e a lavagem
depois de efectuar as necessidades naturais. Uma referência semelhante é feita pelo Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), que disse: “De entre as coisas relacionadas com o fitra (instinto natural) humano, constam: bochechar com agua, usar agua para limpar as narinas, aparar o bigode, limpar os dentes, cortar as unhas, remover os pêlos axilares e púbicos e a circuncisão”. Ahmade. Outra passagem refere que Deus testou Ibrahim Aleihi Salam) para; 1)-Abandonar o seu povo descrente; 2)- Disputar com nimrod – rei da Babilónia, acerca de Deus; 3)- Sendo paciente quando ele foi atirado para o fogo, embora sabendo da situação traumática que estava a ser sujeito. Ibn Abaas (Radiyalahu an-hu) referiu: A última declaração de Abraão, quando ele foi atirado ao fogo, foram as palavras referidas no Cur’ane, 3:173 “Deus é suficiente para Nós e Ele é o óptimo Guardião”. Bukhari 60:87. Depois veio a ajuda de Deus: “Porém ordenámos: ó fogo sê frescor e poupa Abraão.” Cur’ane 21:69; 4)- Saindo da sua terra natal quando Deus lhe ordenou para tal; 5)- Paciência com as exigências monetárias e materiais dos hóspedes enviados por Deus; e 6)- E ordem de Deus para sacrificar o seu filho Ismael. Depois de passar por estas provas, Ibrahim (Aleihi Salam), foi nomeado “Líder de toda a humanidade”. Pediu a Deus para também fazer de líderes, a sua descendência. Deus aceitou, mas advertiu de que na sua descendência, haverá
pessoas injustas entre os seus “filhos” e que esses não vão beneficiar da promessa de Deus. “E o agraciamos (a Ibrahim) com Isaac e Jacob e designamos, para a sua prole, a profecia e o Livro; concedemos-lhe a sua recompensa neste mundo, e no outro contarse-á entre os virtuosos.” Cur’ane 29:27.

 

“E quando fizemos da Casa um lugar de assembleia e um asilo para os povos, (dissemos): “Tomai a estância de Abraão como um local de oração. “E ordenamos a Abraão e a Ismael (dizendo-lhes): “Purificai a Minha Casa para aqueles que andam à sua roda, para os que nela meditam e para os que se curvam e se prostram (aí em adoração).” Cur’ane 2:125. “E lembrai-vos quando Abraão disse: “Meu Senhor, faz com que esta cidade seja de Paz e agracia com seus frutos os seus habitantes que crêem em Allah e no Dia do Juízo Final …” Cur’ane 2:126. A Casa de Deus será visitada para a oração, como um lugar de passagem. As pessoas regressarão às suas casas e de seguida visitarão o local novamente sem quaisquer apreensões, por ser um lugar livre de inimigos e de conflitos armados. Durante a época pré islâmica, as pessoas eram alvo de ataques e sequestros. As pessoas que estavam ao redor da Caaba, encontravam-se protegidas e seguras. Ibrahim (Aleihi Salam) pediu a Deus: “Senhor Nosso, escuta a minha súplica”. Cur’ane 14:40 Deus honrou a Sua Casa, tornando-a segura. Todas as pessoas se encontram ansiosas para realizar visitas repetidas à Caaba. A exortação para que a Casa seja purificada, refere-se não só à limpeza mas também à proibição de utilização de dinheiros provenientes de actividades ilícitas na conservação e reconstrução da Caaba. A purificação também abrange a intenção de afastar dela, qualquer adoração falsa, para que nenhuma outra divindade seja mencionada a não ser o Deus Único. Mais tarde, os Coraishs, na era pré islâmica, colocaram figuras de 300 ídolos, aos quais também passaram a adorar. Após a entrada em Maka de Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam), com o seu cajado, destruiu todos os ídolos, voltando a purificar a Casa de Deus. Por isso, as Mesquitas - as Casas de Deus, são
locais limpos e isentos de quaisquer figuras de santos, profetas ou de ídolos.


Ibrahim (Aleihi Salam) pediu a Deus para conceder o sustento somente para os que crêem em Deus e no Dia do Juízo Final. No entanto, Deus também revelou que irá fornecer sustento também aos incrédulos. “Tanto a estes como àqueles, agraciamos com as dádivas do teu Senhor, porque as dádivas do teu Senhor jamais foram negadas a alguém”. Cur’ane 17:20. Porém, Deus refere: “Diz” aqueles que forjam mentiras acerca
de Deus, não prosperarão. Terão o seu gozo neste mundo, então seu regresso será a Nós. Depois lhe infligiremos severo castigo, por sua incredulidade”. Cur’ane 10:69:70. Incentivo a todos os meus familiares e restantes irmãos e irmãs de fé, que ainda não cumpriram com o 5º. Pilar do Islão, para se apressarem no cumprimento desta obrigação. Se reúnem as condições necessárias, façam a intenção e criem dentro de vós esta preocupação. Se não reúnem as referidas condições, façam também a intenção: quem sabe se Allah Subhana Wataala não nos reserva uma surpresa? Sabemos o que se passou ontem, mas o futuro só é do conhecimento do nosso Criador e Sustentador.


Um Bom Dia de Juma


Cumprimentos,
Abdul Rehman Mangá
08/09/2011

publicado por Re-ligare às 14:10
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 2 de Setembro de 2011
E DEPOIS DO RAMADAN?

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus)


Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus, o Beneficente e Misericordioso)


JUMA MUBARAK

 

Adeus Ramadan!. Ou esperamos encontrá-lo no próximo ano?. Só Deus é que conhece o futuro de cada um de nós. É importante um pequeno balanço individual, para reflectirmos: a)- o que intencionámos fazer, b)- o que foi feito e c)- o que ficou por fazer.


Em relação aos restantes meses do ano, o mês de Ramadan é uma altura muito especial, que nos motiva e incentiva para dedicarmos mais tempo, a fim de cuidarmos e alimentarmos a nossa alma. O Ramadan alerta-nos para o nosso relacionamento com o Criador e abana as nossas consciências. É um verdadeiro milagre que acontece a cada um de nós. Fazemos sempre algo mais, em relação aos restantes meses. É sempre muito, mesmo para aqueles que durante o ano se esquecem das suas obrigações religiosas ou para aqueles que o são regulares. Se procuras o teu Criador, O encontrarás misericordioso. Se O esqueceres, Ele espera que te recordes Dele. “E quando te esqueceres, lembra-te do Teu Senhor….” Cur’ane 8:24. Uns e outros acrescentam sempre algo de virtuoso neste mês. Mas depois de finalizado o mês e após a festa do Idul Fitr, muitos de nós voltamos à situação anterior, não damos continuidade às virtudes praticadas e esperamos pelo próximo Ramadan. Outros, por cada ano que passa, aprendem mais, que depois utilizam nos momentos de ibadat (adoração). O ontem passou e quem o aproveitou, alimentou mais a alma. O presente é hoje, que devemos aproveitar, porque não sabemos, se amanhã teremos capacidade, saúde ou vida para elhorarmos a situação em que nos encontramos. A alma, tal como o corpo, necessita de ser alimentada, continuamente.


“Pela gloriosa luz da manhã e pela noite quando serena, O teu Senhor não te abandonou, nem te odiou” Cur’ane 93:1,2,3.


Pequenas coisas que podem aumentar as nossas provisões para o futuro, por exemplo: 1)- Depois das abluções, efectuar dois ciclos de oração, Tahiátul Uzú, cumprimentando o Uzú. 2)- Ao entrar na Mesquita, não nos sentarmos sem fazer dois ciclos de oração, Tahiátul Masjid, um primentando a Mesquita. 3)- Louvar a Deus depois de cada oração obrigatória, recitando 33 x Subhána Allah, 33 x Allhamdulliláh e 34 x Allahu Akbar. 4)- Recitar Surat Yassin de manhã e aproveitar para fazer duá para os falecidos. 5)- À noite, recitar Surat Mulk (Tabaraka Lasi). 6)- “Bismilahir Rahmani Rahim”, é a chave para tudo e deve ser uma constante na nossa vida. 7)- Reforce a sua convicção de fé no Deus Único,
recite “La Ilaha Ilallah”. 8)- Peça a Deus bênçãos para o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), enviando muitos Duruds, utilizando, por exemplo esta forma mais simples, “Allahuma Sali alã Muhammad”. 9)- Tenha por hábito cumprimentar o seu irmão /irmã de fé com “Assalamo Aleikum”.


1)- Abu Huraira (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse para Bilal (Radiyalahu an-hu): “Ó Bilal, diz-me qual das tuas acções foi mais auspiciosa, depois de teres abraçado o Islam, porque escutei o ruído dos teus passos adiante de mim no Paraíso!”. Bilal (Radiyalahu an-hu) respondeu: “Não pratiquei nenhuma acção mais meritória do que o de me purificar (lavar-me, banhar-se ou realizar abluções) durante o dia ou a noite e, em toda a ocasião, ter oferecido tantas orações quantas Deus me tem destinado (orações de Tahiátul Uzú)”. Bukhari e Muslim.


2)- Abu Catada, referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse:”Quando alguém entra numa mesquita, não se deve sentar sem antes praticar duas rakats (dois ciclos de oração de Tahiátul Masjid)”. Bukhari e Muslim.


3) - Ka’b Ibn Ujrah (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “A pessoa nunca se desiludirá se depois de cada oração obrigatória, recitar as seguintes palavras: 33 x Subhána Alláh, 33 x Alhamdulilláh e 34 x Alláhu Akbar”. Refere o Cur’ane: “A sua prece será: “Glória para TI, ó Allah”! E a sua saudação será: “Paz”! E concluirão as suas orações dizendo: “Louvado seja Deus, senhor dos mundos”. 10.10.

 

4)- Tudo tem o seu coração e o coração do Cur’ane é o Surat Yassin. Ata Bin Raibah (Radiyalahu an-hu) referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Quem recitar o Surat Yassin no início da manhã, todas as suas necessidades do dia serão preenchidas.”


5)- Abu Huraira (Radiyalahu an-hu) disse que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: Há um capítulo no Cur’ane com 30 versículos, que intercederá a favor da pessoa, até esta ser perdoada. É o Surat Tabarakal Lasi.” Também referiu o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) de que o referido Surat é um grande protector contra os castigos da sepultura. Tirmizi.


6)- É imperfeito e defeituoso; é desprovido de qualquer barakah e de graça divina; não há bênção no trabalho; quando não há bênção, a pessoa não terá sucesso no seu projecto: Assim, BISMILLAHIR RAHMANIR RAHEEM (Em nome de Deus, o Beneficente, o Misericordioso), deve ser recitado antes de se iniciar qualquer tarefa. Hazrat Ali (Radiyalahu an-hu), referiu que BISMILLAHIR RAHMANIR RAHEEM é um duá efectivo (prece) para facilitar qualquer dificuldade que esperamos encontrar numa tarefa e remove qualquer mágoa, aflição e trás felicidade para o coração.


7)- Ditos do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam): de Abu Darda (Radiyalahu an-hu) “A pessoa que recitar “Lá Iláha Ilalláh” cem vezes diariamente, será ressuscitada no dia do Julgamento com a sua face brilhando como a lua cheia e ninguém a ultrapassará nesta categoria, excepto aquele que recitar o Kalimah mais vezes do que ele”. De Anass (radiyalahu an-hu): “Allah, Todo Poderoso, decretará no dia do Julgamento: “Tirem do inferno a pessoa que professou “Lá Iláha Ilalláh” e tirem aquele que tinha fé do seu coração do tamanho de um grão. Tirem todos estes que recitaram “Lá Iláha Ilallá” ou Me recordaram em qualquer altura, ou Me temeram.”


8)- “Na realidade, Allah e Seus anjos derramam bênçãos sobre o Profeta. Ó vós que credes, pedi bênçãos para ele e saudai-o com respeitosa saudação”. Cur’ane 33:56. O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “No Dia do Julgamento Final, a pessoa que estará mais próxima de mim, será aquela que enviou mais Durud para mim.” Tirmizi. É referido no Bukhari, 55:588, que as pessoas perguntaram ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), qual a melhor maneira de pedir bênçãos para ele. Ele referiu o Durud-Ebrahim, que nós recitamos nas nossas orações, na posição de sentado.


9) – Imran Ibn Al Hushain (Radiyalahu an-hu) contou que um dia apareceu um homem onde se encontrava o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam e nos saudou, dizendo “Assalamo Aleikum – Que a Paz de Deus esteja convosco). O Mensageiro de Deus (Salalahu Aleihi Wassalam)
retribuiu a saudação e depois disse “Dez”. Aquele homem se sentou e logo apareceu outro e fez a saudação “Assalamo Aleikum Warahmatulah – Que a Paz e a Misericórdia de Deus estejam convosco”. O Profeta lhe retribuiu a saudação e lhe disse “Vinte”. Depois chegou outro e os saudou dizendo “Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu – Que a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus estejam convosco”. Satisfeito devolveu-lhe a saudação e disse “Trinta”. (Abu Daud e Thirmizi). Nota: 10, 20 e 30 (recompensas de Deus). “Quando fordes saudados, retribuí com uma saudação melhor, ou pelo menos igual, porque Deus leva em conta todas as coisas”. Cur’ane 4:86


Quando o Ramadan termina, o crente suplica a Deus, com sinceridade, para que possa viver, pelo menos, mais um ano, a fim de beneficiar das bênçãos do próximo Ramadan. Ele sabe que é nesse mês que consegue incrementar as suas acções meritórias, em relação aos restantes meses do ano. Assim, rogamos a Deus para que aceite o nosso pedido, a fim de termos a Sua misericórdia. Se entretanto morrermos e não alcançarmos o objectivo pretendido, pedimos a Deus para ter piedade da nossa alma. “Rabanná Wa Takabaal Duãi”. 14:40 – “Ó Nosso Senhor, aceitai a nossa prece”.


Não guardem a felicidade convosco. Façam também os outros felizes.


Cumprimentos e um bom dia de Juma.


Abdul Rehman Mangá
01/09/2011

publicado por Re-ligare às 20:47
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
..
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds