Blog dos docentes, investigadores e alunos de Ciência das Religiões na Universidade Lusófona (Lisboa)
.posts recentes

. RAMADAN - PRIMEIRA PARTE

. FALTAM APENAS DUAS SEMANA...

. JEJUM, UM ALIMENTO PARA A...

. “LA ILAHA – ILLA LLAH” – ...

. MI'RAJ — A Ascensão do Pr...

. RELEMBRANDO: A NOITE DE M...

. OS INÚMEROS BENEFÍCIOS PE...

. OS INÚMEROS BENEFÍCIOS PE...

. OS PRIVILÉGIOS E AS RESPO...

. SURAT FUSSILAT

.arquivos

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

Sexta-feira, 25 de Novembro de 2011
Masjid Al-Aqsa (Jerusalém)

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus)
Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus o Beneficente e Misericordioso)
JUMA MUBARAK

 

A Mesquita A-Aqsa, localizada em Jerusalém, é um lugar sagrado para os muçulmanos, nomeadamente pelos seguintes motivos: - Foi para este local que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) foi transportado da Mesquita de Maka para a Mesquita de Al Aqsa, como ponto de passagem para a viagem nocturna (Israa e Mi’raj); - No local, o Profeta liderou uma oração na presença de todos os Profetas (Que a Paz de Deus esteja com eles); - Era para Jerusalém que os muçulmanos se direccionavam para fazer as orações (primeira quibla), até que Deus determinou para se orientarem para Maka.


Quarenta anos depois de construir a Caaba, em Maka, o Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) – Abraão (Que a Paz de Deus esteja com ele), no tempo do seu filho Issac e do seu neto Jacob (Que a Paz de Deus esteja com eles), estabeleceu também em Jerusalém, um lugar de adoração. Abu Dharr, Radyialahu an-hu (que Deus esteja satisfeito com ele), referiu que perguntou ao Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam): “Qual foi a primeira Mesquita que foi erguida no mundo? O Profeta respondeu: Masjid al-Haram (a Sagrada Casa de Maka). Ele novamente questionou: E qual foi a seguinte? Respondeu: Foi a Mesquita Aqsa (Jerusalém). De novo perguntou: Quanto tempo mediou entre a construção duma e doutra? Ele (o Profeta) disse: Foi de 40 anos. E acrescentou, quando chegar a hora de fazeres a oração, ore lá, porque é um Masjid (local de adoração)”. Muslim – Livro 4, nº. 1056. Também referido no Bukhari.


O Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) iniciou a viagem nocturna em Maka, com uma paragem em Jerusalém, na Mesquita Al-Aqsa, conforme é referido no Cur’ane: “Glorificado seja Aquele que transportou, durante a noite, o Seu servo, da Mesquita sagrada (em Makka), à distante Mesquita de Al-Aqsa (em Jerusalém), cujos arredores abençoamos, para mostrarlhe alguns dos nossos sinais. Deus ouve tudo e vê tudo”. Cur’ane 17, Vers.1. Com o animal que os anjos trouxeram o – Buraq, mais veloz que o relâmpago, o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) foi transportado para Jerusalém. Na Mesquita sagrada de Al.Aqsa, liderou uma oração em que se encontravam presentes todos os Profetas. A seguir, foi transportado para o céu, onde visitou todos os Profetas e recebeu um presente do nosso Criador, as 5 orações diárias.

 

Para os muçulmanos, existem 3 lugares sagrados que devem ser visitados. Abu Huraira (Radyialahu an-hu), referiu que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Não viajai (com o objectivo da visita espiritual), senão para três Massjides (Mesquitas): Al-Massjidil-Háram (em Makka), Al-Massjidil Acssá (Jerusalém) e para este meu Massjid (em Madina)”. Relato de Al Bhukari e Musslim.


E referiu o Profeta: “A recompensa da oração obrigatória feita em casa é de uma vez; Na Mesquita é de 25 vezes; Na Mesquita durante a oração de sexta-feira, é de 500 vezes; Na Mesquita Al-Aqsá (Jerusalém) é de 5.000 vezes; na Mesquita do Profeta em Madina (Massjid Nabawi) é de 50.000 vezes; e na Mesquita em Maka (Massgidul Háram) é de 100.000 vezes.” (Relato de Anáss Ibn Málik - Ibn Mája/Michkát).


Nos tempos do Profeta, a Mesquita Al-Aqsa era também conhecida pelos Árabes por “a mais distante Mesquita”, por se encontrar longe e muitas
vezes fora do alcance da maioria deles. Apesar desta localização distante, o Profeta lembrou aos seus companheiros de que a Mesquita é sagrada e foi abençoada por Deus.. Referiu ele que “Se alguém usar o Ehram para o Haj ou o Umra, desde a Mesquita de Aqsa, para a sagrada Mesquita (de Maka), seus anteriores e recentes pecados serão perdoados e ser-lhe-á garantido o paraíso. – Suna Abudawud –Livro 10 – nº.1737. Abu Huraira é citado de que perguntou ao Profeta sobre a pessoa que não tem oportunidade de visitar a Mesquita (por se encontrar longe). Respondeu o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), de que deveria fazer uma doação de óleo para ser queimado na Mesquita, pois quem dá um presente à Mesquita de Aqsa, será como quem orou nela. - Ahmad e Ibn Majah.


O Profeta Ibrahim (Aleihi Salam) - Abraão (Que a Paz de Deus esteja com ele) é patriarca dos Povos do Livro (Judeus, Cristãos e Muçulmanos). Em
Jerusalém existem lugares sagrados para as três religiões. Jerusalém deverá ser um lugar de paz, de tranquilidade, de compaixão e de harmonia, não só entre os seus residentes, mas também para toda a humanidade. Os referidos lugares sagrados, devem ser respeitados e preservados. Quando o Califa Umar Ibn Al-Khatab (Radiyalahu an-hu), companheiro do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) foi visitar Jerusalém, para firmar um acordo com os seus residentes, aproveitou para visitar a igreja de S. Sepulcro. Quando chegou a hora da oração muçulmana, ele e os seus companheiros, retiraram-se da Igreja e foram orar fora. Quando lhe foi perguntado a respeito disso, respondeu: “Temi que se tivesse orado dentro da igreja, poderiam os muçulmanos em tempo futuro, reivindica-la para as sua próprias orações sob o pretexto de que Umar orou dentro dela e que pudesse ser transformada numa Mesquita.


Votos de um bom dia de Juma e com os meus cumprimentos,
Abdul Rehman Mangá
24/11/2011

publicado por Re-ligare às 17:35
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 17 de Novembro de 2011
VISITA Á CIDADE DE MADINA

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus)


Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus o Beneficente e Misericordioso)


JUMA MUBARAK

 

“Na realidade, Deus e os Seus anjos derramam bênçãos sobre o Profeta. Ó vós que credes: pedi bênçãos para ele e saudai-o com respeitosa saudação”. Cur’ane 33:56.


Quem já foi fazer a Peregrinação e teve a felicidade de visitar a cidade de Madina, encontrou lá conforto espiritual, a tranquilidade e a paciência, que não encontrou em Makka. Em Madina, o peregrino nota uma grande diferença na sua vida, ao ponto de quando regressar à sua terra natal, sentir-se triste por deixar aquele lugar sagrado. Muitos factores tornam a cidade de Madina num lugar de paz e de tranquilidade. (1)- Encontra-se lá a sepultura do Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam); (2)- O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) fez uma prece, pedindo a Deus para dar o dobro das bênçãos que deu a Makka (Relato de Musslim). Foi a cidade que acolheu o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), quando ele foi obrigado a deixar Makka no ano 622 da era Cristã, conhecida por Al-Hijra, que marca o início do calendário Islâmico.


Para os muçulmanos, existem 3 lugares sagrados que devem ser visitados. Abu Huraira (Radyialahu an-hu), referiu que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Não viajai (com o objectivo da visita espiritual), senão para três Massjides (Mesquitas): Al-Massjidil-Háram (em Makka), Al-Massjidil Acssá (Jerusalém) e para este meu Massjid (em Madina)”. Relato de Al Bhukari e Musslim.


É importante referir que a visita à cidade de Madina, não faz parte dos rituais de Haj ou do Umra. Mas é recomendável a visita, caso existam condições financeiras para o efeito. A visita a Madina, permitirá ao crente estar mais próximo do Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). É a ansiedade de todo o Muçulmano em estar junto à campa dele para o cumprimentar. Ibn Omar (Radyialahu an-hu) narra que a tradição consiste em visitar a campa do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) e dizer “Assalamo Aleika Ayu Hannabiyo Warahmatullah Wabarakatuhu” “Ó Profeta de Deus, que a Paz , a Misericórdia e as Bênçãos de Deus, estejam contigo”. O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “No dia do Julgamento Final, a pessoa mais próxima de mim, será aquela que enviou mais durud para mim.” Tirmizi. Abu Huraira (Radiyalahu an-hu), referiu que Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Aquele que envia Durud perto da minha campa, eu próprio ouço-o e aquele que envia-me Durud longe, é me transmitido”. Baihaiqui, Mishkat.


A confirmação de que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), sentia compaixão pelo todo o seu Umah (seguidores), não só para aqueles que estavam com ele durante a sua vida, mas também para aqueles que seguiriam as suas orientações depois da sua morte, é comprovada pelo seguinte hadice narrado por Ahmed: O Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam), uma vez estava com os seus companheiros e disse: “Quando verei eu os meus irmãos?”. E os companheiros perguntaram-lhe surpreendidos, se eles não eram os seus irmãos. E ele respondeu: “Vós sois os meus companheiros; mas os meus irmãos, serão aqueles que acreditarão em mim sem nunca me terem visto”. – Hadice narrado por Ahmed.

 

Dentro da Mesquita do Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam), existe um pequeno lugar muito procurado pelos visitantes e também pelos residentes, para fazerem as orações e preces. Nas alturas de grande influência, é necessária muita paciência para se encontrar um pequeno espaço. Abu Huraira (Radiyalahu an-hu), referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Entre a minha casa (campa) e o meu mimbar (púlpito), há um jardim de entre os jardins do Paraíso, entre a minha casa (campa) e o meu púlpito, está sobre o meu lago de Al-Kauçar”. Bukhari.


Anass Ibn Málik (Radyialláhu an-hu) narrrou que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Quem fizer quarenta orações no meu Massjid, sem falhar uma sequer, ser-lhe-á garantida a isenção do fogo, do castigo e da hipocrisia.” (Relato de Ahmad e At-Tabarani).


Anáss Ibn Málik referiu que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “A recompensa da oração obrigatória feita em casa é de uma vez; Na Mesquita é de 25 vezes; Na Mesquita durante a oração de sexta-feira, é de 500 vezes; Na Mesquita Al-Acssá (Jerusalém) é de 5.000 vezes; na Mesquita do Profeta em Madina (Massjid Nabawi) é de 50.000 vezes; e na Mesquita em Maka (Massgidul Háram) é de 100.000 vezes.” (Relato de Ibn Mája/Michkát).


A Mesquita do Profeta, como também é conhecida, foi o centro importante de liderança e de governação, que se estendeu pelos três sucessores de Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). A área inicial da mesquita era pequena, cerca de 4.200 metros quadrados. Actualmente, ocupa uma área muito vasta, devido a diversas ampliações a que foi sujeita ao longo dos anos. O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) referiu: “Se este Massjid for expandido até Saná (Yémene), continuará a ser considerado o meu Massjid”.


Em Madina, encontra-se os seguintes lugares que devem também ser visitados:


- JANNATUL BAQUI, cemitério onde estão sepultados cerca de 10.000 sahabas (Radyialahu an-huma), companheiros do Profeta;
- MONTE OHUD, onde ocorreu a batalha de Ohud;
- MASSJID CUBÁ, é o primeiro massjid construído, cuja primeira pedra foi colocada pelo próprio Profeta. Fazer uma oração nA Mesquita Cubá, é merecedor de grandes recompensas por parte de Allah Subhana Wataala. O Cur’ane refere a Mesquita e as gentes de Cubá no capítulo 9, versículo 108. E referiu o Profeta “Salalahu Aleihi Wassalam): “Quem fizer a ablução na sua casa e for fazer a oração na Mesquita Cubá, terá a recompensa de fazer um Umra (Ahmad, Na-Nassai e Ibn Majá).
– MASSJID QUIBLATAIN (Dois Quiblas – orientações). É visível na Mesquita as duas orientações para as orações. Uma quando os muçulmanos ainda oravam virados para Jerusalém e outra virada para Maka. (Assunto referido no Cur’ane, 2:143).
- Existem também os seguintes Massjides a visitar, nomeadamente, Jumá, Ghamáma, Abubarkar, Omar, Áli, Al-Ijába e Fath/Ahzáb.


Duá que deve ser feito pelo peregrino, no final da visita à cidade de Madina: “Ó Allah, não faça desta visita ao Seu Profeta, ao seu Massjid, ao seu santuário, a última visita, mas facilita-nos novamente a vinda e a permanência aqui. E conceda-nos o perdão e o bem neste e noutro mundo. E leva-nos para junto das nossas famílias com segurança e com recompensa abundante pela tua misericórdia, Ó Misericordiosíssimo de entre os misericordiosos, ÁMIN”.


Façam o favor de ter um bom dia de Juma.


Cumprimentos
Abdul Rehman Mangá
17/11/2011

publicado por Re-ligare às 17:03
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 12 de Novembro de 2011
O DIA DE ARAFAH – O IDUL- ADHÁ

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus)


Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus o Beneficente e Misericordioso)


JUMA MUBARAK

 

Abdurrahman Bin Yamur Ad-Dail (Radiyalahu an-hu – Que Deus esteja satisfeito com ele), referiu que ouviu do Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) dizer: “O Haj é Arafah, O Haj é Arafaf”. Relato de Baihaque. Ainda referiu o Profeta: O melhor dia, é o dia de Arafah.


O dia de Arafah é o dia 9 de Dhul-Hijja. Arafah está situado a cerca de 9 Kms de Miná, onde se encontra uma pequena montanha conhecida por “Jabalar-Rahmah – A montanha da misericórdia”, onde o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) proferiu a sua última mensagem para a humanidade.


Segundo o Relato de Musslim, o melhor dia para Allah Subhana Wataala , é o dia de Arafah. É o dia em que Deus, o Misericordioso, livra uma grande parte das criaturas do inferno.


Nesse dia, os muçulmanos que se encontram a cumprir o Haj, ouvem falar línguas que nunca tinham ouvido falar, porque o Isslam é uma religião universal. Vemos irmãos e irmãs da mesma fé, de todas as cores e nacionalidades, trajando o mesmo tipo de vestuário (os homens embrulhados em panos brancos) e todos movidos pela mesma causa que é de obter o perdão de Deus, nosso Criador e Sustentador. Faz-nos pensar o dia da Ressurreição, em que todos seremos levantados das nossas sepulturas e reunidos para a derradeira prestação de contas.


Nesse dia em Arafah, o Haji (peregrino) deverá estar o mais tempo possível de pé, com as mãos levantadas fazendo duás (preces), com muita humildade e sinceridade, pedindo a Deus que lhe perdoe e que o encaminhe para o caminho daqueles que ganharam a Sua satisfação. Deve também aproveitar o tempo fazendo o Zikre (recordando e louvando a Deus) e lendo o Alcorão. Os muçulmanos que não foram fazer a peregrinação, devem também incrementar as suas referidas acções religiosas e fazendo orações facultativas.


Foi recomendado pelo Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) para que os muçulmanos que não se encontram em peregrinação (Haj), para  observarem o jejum no dia de Arafah. Abu Catada (Radiyalahu an-hu), referiu que foi perguntado ao Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) acerca do jejum no dia de Arafah; respondeu: “Isso permite emendarem-se as faltas (cometidas) durante o ano anterior e o ano seguinte”. Muslim.


Depois do pôr do sol, os Hajis (peregrinos) deixam Arafah e seguem para Muzdalifa, situada a cerca de 5 Kms a leste de Arafaf , a fim de passarem a noite. Deus, nosso Senhor e Guia, refere no Cur’ane: “Quando regressardes de Arafah, invocai Deus junto do Macharil Haram (em Muzdalifa). Recordai-vos Dele de forma como Ele vos orientou....” Cap. 2 Vers. 198.

 

Os Muçulmanos têm dois dias festivos. O Idul Fitre, depois de terminado o mês de Ramadan e o Idul Adhá, no dia 10 de Dhul Hiija, em comemoração do final do período de Haj, em que todos os que não participaram nos rituais do Haj, celebram o dia, fazendo a oração e o Curbani (sacrifício).
Abu Huraira (Radyiallahu an-hu) narra que o Profeta (Sallalahu Aleihi Wassalam) disse: “Quem tem capacidade financeira para fazer o curbani (sacrifício), mesmo assim não o faz, esse que fique longe e não se aproxime do nosso idegáh (local da oração de Ide).


Nas noites anteriores aos dias de Ide, devem ser aproveitadas para fazermos o máximo de ibádates possíveis (adoração a Deus), pois Abu Umamah (Radiyallahu anhu) referiu que o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Quem permanecer de pé nas duas noites que antecedem aos dias de Ide, na esperança de obter recompensa, o seu coração não morrerá no dia em que todos os corações estarão mortos. Relato de At-Targuib.


Deve ser recitado o Takbir, após cada oração farz, começando no dia 9 de Dhul-Hajja, na hora de Al Fajr, até ao dia 13 do mesmo mês, depois da oração de Assr. ALLAHU AKBAR, ALLAHU AKBAR; LÁILAHA IL-LALLÁHU-WALLÁHU AKBAR. ALLÁHU AKBAR WALIL-LÁHIL-HAMD.


Deus é o Maior. Deus é o Maior. Não há outra divindade excepto Deus. Deus é o Maior, Deus é o Maior e todos os louvores pertencem só a Deus.


Dar prendas no dia de Ide, aumenta ainda mais as nossas amizades. O Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) disse: “Ofereçam prendas uns aos outros, porque a prenda remove o rancor do peito”. – Relato de Tirmizi. . As prendas devem ser úteis e não necessariamente dispendiosas. Também é uma prenda o cumprimento, um abraço efusivo entre amigos, um sorriso, um telefonema para os familiares e amigos que se encontram distantes. Aicha (R.T.A.) disse que o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) aceitava prendas e em troca também dava prendas. - Relato de Al-
Bukhari.


Nos dias de Ide, devemos dar prendas, em especial às nossas crianças, de modo que não fiquem constrangidas ao verem as outras crianças a receberem prendas na altura do natal. Assim compreenderão os motivos porque temos prendas nos nossos dias de festa. A orientação de dar prendas, surgiu há mais de 1.400 anos..... No entanto, deveremos ter em conta, a utilidade das prendas a oferecer. Uma prenda pode ser também um sorriso, uma reconciliação ou uma visita de cortesia.


Façam o favor de passar o dia de Ide na companhia da família e dos amigos. Visitem as sepulturas dos vossos falecidos, eles estão sempre à espera das vossas preces. Um dia de Arafah com muitos benefícios espirituais e votos de um Eidul-Adhá muito feliz e que Deus vos abençoe.


Cumprimentos
Abdul Rehman Mangá
03/11/2011

publicado por Re-ligare às 12:32
link do post | comentar | favorito
|
Visita (Ziyárat) à Cidade de Maka

Assalamo Aleikum Warahmatulah Wabarakatuhu (Com a Paz, a Misericórdia e as Bênçãos de Deus)

 

Bismilahir Rahmani Rahim (Em nome de Deus o Beneficente e Misericordioso)


JUMA MUBARAK

 

"A primeira Casa (Sagrada) fundada para as pessoas (adorarem a Deus), é a que está em Bakkah (Maka). É abençoada e serve de guia para os povos do mundo. Nela há sinais claros, entre os quais, o lugar de Ibrahim (Abraão) e quem nela entra, estará seguro." Cur'ane 3:96 e 97.


As visitas (ziyárats) aos locais históricos de Maka, não fazem parte dos rituais do Umra e do Haj (as chamadas pequena e grande peregrinações). No entanto, as mesmas ajudam-nos a perceber a história do Islão, do Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam) e dos seus companheiros (Radiyalahu an-huma). Para além de aumentarmos os nossos conhecimentos acerca do Islão, também obtemos recompensas espirituais.


- Local do Nascimento do Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). Fica mesmo perto de Safa. A casa foi transformada numa biblioteca e não se encontra na sua forma original.


- Casa de Khadija (Radiyalahu an-ha), a primeira esposa do Profeta. Onde também nasceram todos os filhos do casal. O Profeta viveu nesta casa, antes de se retirar para Madina, por causa dos maus tratos que lhe eram infligidos por parte de alguns idólatras residentes de Maka, (Foi nessa altura que se iniciou a contagem do calendário Islâmico -Hijra).


- Jabal Abu Cubaiss, montanha situada perto da colina de Safa em frente à Casa Sagrada, onde se deu o milagre da fenda da lua (Chakkul-Camar", cujo facto se encontra mencionado no Cur'ane.


- Jabalun - Nur , Montanha da Luz, a cerca de 5 Kms de Maka. Ainda jovem, o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) costumava retirar-se para esta montanha para meditar em solidão, recordando Deus. Foi aqui que recebeu a primeira revelação do Cur’ane, através do Anjo Jibrail (Gabriel). “Recite, em nome do teu Senhor…...Cur'ane (capítulo 96)


- Jabaluth – Thaur, montanha que fica a cerca de 11 kms de Maka, onde o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) e Abubakar Siddik (Radiyalahu an-hu) se refugiaram dos perseguidores, quando se dirigiam para Madina (Hirja). Quando os dois se encontravam escondidos numa cave, uma aranha teceu uma teia, que cobriu a entrada, iludindo assim os perseguidores.


- Jannatul- Malá ou Muallá, o mais antigo cemitério de Maka, onde se encontram sepultados diversas personalidades, nomeadamente, Abdul Mutallib e Abu Talib, respectivamente avô e tio do Profeta. Também encontram-se lá as sepulturas dos filhos do Profeta e de outros seus companheiros.


- Os Massjids Jin, Ráyah, Chajarah, Khaif e Kaussar ( neste ultimo, onde foi revelado o Suratul-Kaussar).


- A Mesquita Aicha, fica relativamente perto de Maka, serve os residentes de Maka e os peregrinos que se encontram já em Maka, que pretendam fazer o Umra, para onde se dirigem já com o Ehram vestido ou vestem-no neste Masjid. Proclamam a intenção e regressam a Maka, já prontos para cumprirem com os rituais. Assim, o peregrino pode fazer tantos Umras quanto os desejar, mas para isso, para cada um deles, deverá deslocar-se a essa Mesquita para iniciar a pequena peregrinação.


Os locais abaixo referidos, são pontos de passagem obrigatórios do Haj. No entanto, quem for fazer só o Umra, não irá passar pelos mesmos, pelo que se recomenda uma visita guiada;


- Mina: - Encontra-se a cerca de 5 Kms. de Maka. No local, são montadas milhares de tendas para albergar os peregrinos que durante os dias de Haj, aqui permanecem a maior parte do tempo, fazendo zikr (recordando a Deus), orações obrigatórias e facultativas e diversas preces. Foi neste lugar que o Profeta Abraão (Que a Paz de Deus esteja com ele) trouxe o seu filho para o sacrificar, cumprindo com as ordens de Deus. Recordando este importante acontecimento, os peregrinos que se encontram no local, solicitam aos seus representantes, para se deslocarem aos matadouros a fim de efectuarem os sacrifícios em nome deles. Também, em toda a parte do mundo, os muçulmanos fazem os seus sacrifícios e cuja carne é dividida em 3 partes iguais e distribuída, para os vizinhos e amigos, para os pobres e para o próprio consumo.


- Arafa: É o local mais importante para o Haj. “O Haj é Arafah, O Haj é Arafaf”, referiu o Profeta Muhammad (Salalahu Aleihi Wassalam). Neste local, existe a Mesquita Namira, para onde os peregrinos se dirigem para as orações. No entanto, a maioria deles permanecem nas tendas, já que não é possível albergar dentro da Mesquita, os milhões de crentes. Em Arafa encontra-se o monte Jabalur - Rahman – a montanha da misericórdia, onde o Profeta (Salalahu Aleihi Wassalam) dirigiu a sua última mensagem.


- Muzdalifa: É neste lugar que os peregrinos passam a noite no segundo dia de Haje e o melhor local para apanhar as pedrinhas necessárias para apedrejar os cheitanes. Entre Mina e Muzdalifa, existe um lugar denominado de Muhassir, no vale do mesmo nome, onde ocorreu o incidente conhecido por “ano dos elefantes” ou “senhores dos elefantes”. No referido acontecimento, no ano de 570 D.C., os invasores que pretendiam destruir a Caaba, foram derrotados por pedrinhas lançadas por um bando de pássaros.


- Os Jamarates, Em Miná, o visitante encontrará 3 locais onde se encontram instalados 3 pilares, simbolizando os cheitanes (diabos – o pequeno, o médio e o grande), esses que nos perseguem a cada momento da vida. Foi nesse local que o Profeta Abraão foi tentado pelo cheitane, quando levava o seu filho Esmael para o sacrificar e por três vezes o Profeta atirou pedrinhas no diabo que se afundou nas areias. Os peregrinos ao atirarem as pedrinhas para os “pilares”, simbolizam o repúdio pelas tentações e pelos pecados cometidos. Depois de apedrejarem os dois cheitanes pequeno e médio, voltam-se de costas para os pilares e fazem preces, pedindo a Deus perdão pelos pecados cometidos e um novo caminho a trilhar. Depois de “derrubarem” o cheitane grande, pura e simplesmente ignoram-no e viram as costas e caminham para uma nova vida.


Para aprofundarem ou recordarem os vossos conhecimentos acerca dos temas relativos ao Haj e do Umra, recomendo a leitura do livro “Umra, Haj e Ziárat” do Maulana Aminuddin Mohamad. É um manual que aborda os ensinamentos, que directa ou indirectamente estão ligados ao Umra e ao Haj, cuja leitura nos faz recordar / aumentar o nosso Ilm religioso.


Um bom dia de Juma,
Cumprimentos
Abdul Rehman Mangá
10/11/2011

publicado por Re-ligare às 12:23
link do post | comentar | favorito
|
..
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds