Blog dos docentes, investigadores e alunos de Ciência das Religiões na Universidade Lusófona (Lisboa)
.posts recentes

. RAMADAN - PRIMEIRA PARTE

. FALTAM APENAS DUAS SEMANA...

. JEJUM, UM ALIMENTO PARA A...

. “LA ILAHA – ILLA LLAH” – ...

. MI'RAJ — A Ascensão do Pr...

. RELEMBRANDO: A NOITE DE M...

. OS INÚMEROS BENEFÍCIOS PE...

. OS INÚMEROS BENEFÍCIOS PE...

. OS PRIVILÉGIOS E AS RESPO...

. SURAT FUSSILAT

.arquivos

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009
O JESUS QUE POUCA GENTE QUER

 

A presente reflexão refere-se ao homem, quiçá, negro, pobre, sem aparência e que nada escreveu sobre si.
Refere-se ao homem camponês, da aldeola Nazaré, no interior da Galiléia, região rural de Jerusalém.
Este Jesus que pouca gente quer é carpinteiro, agricultor e ambulante, uma vez que segundo o costume, o filho herdava a profissão do pai. Este Jesus é do movimento do João Batista, pois optar por este seguimento, representa descontentamento com o tradicional judaísmo; discordância dos vários caminhos propostos pelos inúmeros grupos religiosos e anúncio profético do Reino de Deus entre os povos.
 
Crer-se que este Jesus escolhe pessoas consideradas mais insignificantes e pecadoras perante ás léis existentes. Aqui, Jesus é libertador, optando preferencialmente pelos pobres e indigentes do sistema romano e judaico.
 
O Jesus que pouca gente quer, acima de tudo, nasce em um ambiente hostil, sem as mínimas condições de higiene; nasce de uma jovem simples e sem o mínimo de noção da empreitada posta pelo anjo mensageiro. Acredita-se que este Jesus tem fome, sêde, sono, dores, cansaço, tentações, densos momentos de profunda tristeza; chora e dorme.
 
O homem chamado popularmente de nazireu, galileu, diga-se de pasagem, nomenclaturas pejorativas, filho do homem e por fim, de Jesus. É discriminado; prisioneiro; sem teto; abandonado; recebendo vários apelidos tais como: Filho do Diabo, alcoolatra, blasfemador, amigo de pecadores e publicanos; cristo; rei dos judeus; filho do homem; filho de Davi; mestre, messias e salvador. Este Jesus quebra as barreiras raciais, sociais, políticas, econômicas, culturais e religiosas de seu tempo.
 
O Jesus que pouca gente quer entra na casa e come com pecadores e publicanos; lava os pés dos seus discipulos e discipulas; toca em leprosos; dá a vida pelas pessoas; anda em cima de uma jumenta; desmascara os comerciantes do templo e conversa com samaritanos. Quanto a estes, compreende-se que representam os irmãos mulçumanos de hoje. O Jesus que pouca gente quer não condena, pelo contrário, acolhe e ama consideravelmente a considerada pior das pecadoras.
 
Este Jesus também tem famílias e irmãos. Tem suas crises interiores, levando-o ao isolamento e a pensar seriamente em cumprir ou não, a missão proposta pelo Pai. Acredita-se que Jesus não possui nenhum tipo de bens; não é aceito e, nem tampouco, reconhecido em sua pátria. O Jesus que pouca gente quer caminha, conversa, dança, senta e toma vinho com o povo em rítimo de festa.
 
O Jesus que pouca gente quer escandaliza os grupos religiosos de seu tempo. O Reino de Jesus é terreno, anunciado o aqui e agora entre vós. O Jesus que pouca gente quer possui uma coroa de espinhos e estar despido na cruz. O Jesus que pouca gente quer levanta a voz contra a opressão, se indignando com as injustiças romanas. Este Jesus é desfigurado, sem formosura alguma, revolucionário, político e crucificado pelos seus ideais.
 
O Jesus que pouca gente quer é espancado, humilhado, carrega sua própria cruz e é posto para fora da cidade. O Jesus que pouca gente quer chega a sentir-se abandonado pelo próprio Pai. Este Jesus preocupa-se com a vida e com a criação do Pai.
 
Em suma, o Jesus que pouca gente quer é um homem ético, solidário, fraterno, amável e, acima de tudo, humano. Este é o Jesus que pouca gente quer.
                           
 
 
Adriano Trajano

Pastor da Igreja Batista em Chã Preta/AL

aluno da Pós-Graduação em Ciências das Religiões da FATIN, com acesso ao Mestrado em Ciência das Religiões da Un. Lusófona

publicado por Re-ligare às 19:25
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Florbela Nunes a 10 de Setembro de 2009 às 19:33
Quem poderá recusar um Homem como nenhum outro mais haverá, que rompeu todas e quaisquer barreiras raciais, sociais e religiosas para proclamar que o Reino de Deus, pode existir dentro de quem O quiser receber? Entendo o estimado Pastor Adriano, que escreve sobre Jesus como poucas pessoas fazem, o Homem desprezado e humilde, mas que o fêz por causa do amor que movia o seu coração, apesar de que quem O rodeava muitas vezes, nEle não cresse. Mas... também ficou registado pelos evangelistas principalmente, que multidões O admiravam pela sua doutrina; nEle criam por causa dos seus milagres; que até líderes religiosos aceitaram a Sua filiação realmente divina e, segundo as Escrituras, até "nasceram de novo" - até O quiseram. Tudo, porque o amor que O moveu, que fez o Pai deixá-lo por momentos quando Ele - O Filho, carregou sobre si os pecados de todos, até daqueles que não criam em si; até os nossos que na altura ainda não O conhecíamos - é o mesmo que hoje ama e expectante e paciente aguarda um sim - um "eu quero!"

Saudações

Florbela Nunes
De Pr. Adriano Trajano a 13 de Setembro de 2009 às 06:47
Muito obrigado irmã Florbela pelo comentário. Um forte abraço!
De criação de sites a 29 de Abril de 2010 às 08:26
Cada um com sua fé.

Comentar post

..
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds